Poesia · Uncategorized

Terra Nova

terra nova


Forte tremor!
Abra esta terra
Que tudo engula, que tudo rache
(Deixe as rosas na Rocha)
Com bocas memoráveis
Com goela sem fundo
Com tamanho sem fim
Que se feche, então,
Como portas de aço
Não deixe um cadarço
Nada do que foi seja semente
Saiba, tudo o que foi é delinquente!
Saiba, tudo o que vai é excedente!
Terra!
Receba das gotas da garoa fina
Das chovidas de ostras raras
De raios prata dançantes felizes
De vapores primeiros, os transparentes
Sirva de cama!
Maciez sem a lama!
Abel dê presentes, servindo sem medo.
Vivendo a paz do seu Criador.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s