Humor · Recanto das Letras

Gênesis do Ateísmo – Republicação da Republicação

Capítulo 2, verso 2 em diante.

Houve um tempo em que o nada era tudo o que existia. O nada, cansado de ser tudo, explodiu todas as não substâncias. Disso surgiu um imenso pinball de pedras. Uma delas, que muito nos interessa, por força do nada e do acaso bateu mais nas outras que as outras nas outras e, de tanto bater, foi esquentando e virou Sol. Quando jogou sua luz sobre as outras pedras, estas passaram a brilhar e foram chamadas estrelas, muito tempo depois, quando o homem inventou o pensamento.

Uma das pedras era muito grande, casou com o sol, era a lua. Isso, é claro, não aconteceu de uma hora pra outra. Tinham todo o tempo do mundo. Ops… (contradição ateobíblica). Tinham todo o tempo do tempo. E ficaram nesse pinball por 5 trilhões, quatrocentos bilhões, cinco milhões, dezessete e “doze” mil, quinhentos e quinhentos e noventa e oito centavos de tempo do tempo dos tempos, aproximadamente. De acordo com a nova máquina de calcular tempo, criada em 2015 que, infelizmente, não consegue contar minha idade exata se eu perder meus documentos, a memória e a família, mesmo eu tendo só 31 anos, ou a do meu cachorro que nasceu há 3 anos, ela só pode contar números grandes, e é chamada de “Me engana que eu gosto” – TBG 668877, PHY.

Depois disso, o acaso e o nada, juntamente com os agora polígamos Sol, lua, universo, estrelas, além dos meteoros e meteoras, de tanto se acasalarem entre si, criando vários buracos negros, fizeram nascer alguns planetas. Mas pode ser outra coisa, nesse gênesis pode tudo, até o que Tim Maia diz que não pode. Então, a outra fonte diz que todos eles pararam de ficar batendo uns nos outros e decidiram se organizar, daí surgiu o primeiro jogo de truco da história. Que jogaram por bilhões de anos. Porém, deu uma briga daquelas porque o Sol blefava demais.

E daí, cara, mano! (é nóis na fita!, morou!)… (Diz-se que esse trecho inicial do parágrafo foi adição de um maconheiro romano no ano 300…) a pedra Terra foi lançada milimetricamente na distância correta para existir nós e os dinos. Além disso, e ao mesmo tempo, o Sol esquentou tanto, mas tanto, que transpirou mares e rios, que por força do acaso, foram caindo nos meteoros e meteoras que, posteriormente, eram chutados pela lua na Terra. Por causa do esforço da lua, ela até hoje está cheia de buracos, são os machucados não cicatrizados, pois não existia ainda cirurgião plástico naquela época, e os de hoje são muito pequenos. E por causa do tal esforço também, a lua teve uma diarréia de sementes, e disso caíram nos meteoros e meteoras e foram parar na Terra. Daí tantas árvores e trigo pra fazer pão e pizza. O ar surge nesse momento, é que começou a nascer pimenta e a Terra tinha alergia, acabou espirrando e surgiu o ar. Para não espalhar o catarro e sujar outros planetas, ela resolveu interditá-lo por aqui. E parte do catarro foi parar em Brasília, onde surgiu a sopa primordial e foram colocadas num caldeirão isolado todos os vírus e bactérias desse espirro.

Mas a bactéria e os vírus foram fazendo a maior zona lá na sopa, estilo “Esquenta” da rede Globo. Daí o micróbio Dino resolveu fugir com a Dina. Os dois foram se desenvolvendo por bilhões de anos, mas a Dina morreu, e o Dino não tinha ainda aprendido a ser safado e por isso ficou sozinho. O Dino foi lá na sopa e achou outra Dina. Mais uns bilhões de anos e os dois morreram. Conforme a sopa foi ficando mais esperta e safada, passou a colocar nos fujões a safadeza para eles não encherem mais sua paciência e saírem dela sem mais voltar.

Os próximos dinos se reproduziram, mas atormentaram tanto o Universo, o nada, o acaso, sorte, azar, deuses e afins que a Terra deu uma dançada e os meteoros e meteoras caíram, matando-os quase todos. Mas não deu muito certo e os dinos fingidos viraram outras coisas como jacarés, cobras, pássaros, burros e cavalos, através de evolução sexual. Disso saiu o Macaco I e a Macaca I e a Macaca-Macaco e vice-versa I. Mais uns bilhões de anos e com um terremoto o Macaco 3 milhões e duzentos mil que estava no Afeganistão se encontrou com a Macaca 3 milhões e duzentos e dois mil que estava em Carapicuíba, e fizeram o primeiro homem produto da safadeza que a ciência chamou dum nome estranho que traduzido é bobão corcunda. Mais bilhões… e o bobão corcunda foi ficando descorcundado e esperto, através da evolução cerebral. Hoje ele faz aviões e milkshake. Além de escrever livros como Deus, um delírio.

Publicado originalmente no Recanto das Letras em: 06/05/2015

E aqui em Dezembro/2015

Anúncios

Um comentário em “Gênesis do Ateísmo – Republicação da Republicação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s