Crônicas · Poesia

Diabos

Como um animal, pelo seu cheiro consigo lembrar.

Lembro como se a lembrança fosse mais forte que o fato.

Será que o fim de todo o homem é se tornar um casmurro?

Lembranças e suposições, tomando o cálice da amargura.

Gostava daquela época em que olhava pro céu e via o céu.

Agora só vejo nuvens, nem consigo tocar o brilho da lua.

Mas o seu cheiro reaviva tudo, e sinto pena de mim.

Olha no que me tornei, olha o que faço.

Não sei matar sem ser Kamikaze e morrer junto.

Sou um misantropo que se relaciona com antropófobos.

Toda essa rede e todas as outras é um imenso sanatório.

Completamente abarratodas de loucos e depressivos.

Gostaria de ter apenas um normal que me compreendesse.

Mas se houver, eu já desisti de esperar.

Mas se houver, estou no lugar errado.

Você está do meu lado e é normal.

O que é normal? Meu instinto diz que é não ser anormal.

Contudo, fui atingido pelas fagulhas do soldador.

Como um animal, pelo seu cheiro consigo lembrar.

Lembro como se a lembrança fosse mais forte que o fato.

A minha rola já ofereci aos adoradores de picas.

E eles agora a lambem como cães a gordura da carne.

Julgam, induzem, menosprezam, criticam

Enquanto fazem porra nenhuma.

São iguais a mim, talvez por isso os deteste.

Só um imbecil consegue entender outro.

Só um louco reconhece outro.

Por isso não desarraigo, não seremos logo liberados.

Estamos esperando algum médico que nos liberte.

Mas se ele vir, vamos matá-lo, talvez crucificado.

Eu fui uma donzela, julgaram-me pervertido.

Eu fui um animal, julgaram-me homem.

Eu fui um cafajeste, julgaram-me desejoso.

Eu fui uma puta, julgaram-me cafetão.

Eu fui um padre, julgaram-me sacrílego.

Eu fui eu, julgaram-me outros.

Eu sou um escritor, julgam-me biógrafo de mim mesmo.

Mesmo quando tento biografar o que não sou eu.

Psicólogos e Psicólogas da Web, chupem meu pau e vão dar o cu!

Cansei de gente, cansei do mundo, cansei de tudo.

Inclusive esta porra de blog.

Vou só e volto só e fico só.

Eu escrevi um texto, mas julgaram desabafo.

E se fosse? Posso? Devo?

Acaso estou proibido de escrever o que quiser?

Você não tem vida que só precisa cuidar da minha?

Não tem letra pra escrever e por isso escreve sobre a minha?

Um depressivo lunático manda lembranças a todos os outros.

E que tudo mais vá pro inferno. Principalmente os diabos.

E há muitos que não acreditam no inferno.

É a internet e o mundo!

O diabo é você.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s