Entrevista

Entrevista exclusiva com WLD

A mentira parece verdade e a verdade, mentira. (não sei quem disse isso, mas eu pensei agora ou não)

Bem, muito boa noite Sr. WLD, é realmente um prazer tê-lo por aqui em nosso programa de entrevistas Mentiras Verdadeiras.

Disponha. O prazer é meu. Dispenso o “Sr.”

Ok. Para iniciarmos esta entrevista WLD, você está mais para Waldir ou WLD?

Eu sou WLD. Mas como estou na mente dele, pode ser que isso fique bem confuso.

Mas já foi alguma vez enquanto WLD o Waldir?

Ele já foi WLD, eu jamais seria Waldir.

Entendo. É que acredito que muitos dos seus leitores querem saber se o seu último texto, Horror ao Elogio?, foi feito por você ou pelo WLD.

Não acho que queira falar sobre o que escrevo, e nem tampouco o Waldir. O que ocorre é o seguinte: Digamos que foi tudo ficção, você, querido entrevistador, veria isso como?

Um total disparate, obra de um louco total, precisaria urgentemente ser internado.

Mas e se eu dissesse que não foi ficção?

Um total disparate, obra de um louco total, precisaria urgentemente ser internado.

Bem se vê que o resultado é o mesmo.

Agora me deixou curioso, foi ou não ficção?

Vamos pelas hipóteses. Você sabe que eu gosto muito de reflexão. O Waldir não, mas eu gosto. Suponhamos que tudo não passou de um grande blefe, perdi dois seguidores, fui analisado pelos psicólogos da web como alguém doente, alguns ficaram curiosos e me mandaram e-mail, mas o e-mail quem cuida é o Waldir, não eu. E na minha lista de seguidores há pelo menos trinta pessoas que podem vestir a carapuça ou não, certo? E pode ser que nenhuma delas seja a dita cuja. Aliás, pode ser que a dita cuja nem mesmo exista.

Para tudo. E pode ser também que você esteja agora supondo tudo isso para livrar-se da culpa de ter publicado um texto tão vergonhoso sob diversos aspectos e querendo recuperar a reputação, não?

Claro que sim. Porém, também pode ser: claro que não. Ou ainda, talvez. Eu te pergunto, de acordo com tudo o que conhece de mim, com qual das opções você ficaria? Acha que esse texto é mais vergonhoso que outros como O viciado em palavrões? Não seriam quase todos os meus textos, vergonhosos? Mas suponhamos que sim, suponhamos que seja isso mesmo, como você saberá?

Bem, olha, o negócio é o seguinte, você agora me deixou num mato sem cachorro, porque eu mal te conheço, mas acredito em você e no que você diz, porque o que disse sobre o site anterior em que estava, foi confirmado por vários dos seus amigos.

E o que te induz a pensar que meus amigos não sejam eu mesmo controlando vários blogs ou ainda: enganei-os no espaço anterior, falando sobre outro espaço anterior?

Agora você me deixou confuso. Você é sempre assim confuso?

Na verdade, é a vida que é confusa. E a Web não é de maneira alguma local para se ter qualquer tipo de confiança.

Já que você falou em confiança, o Waldir é casado mesmo?

Já sabes que sou hipotético, né? Suponhamos que não. Ele pode estar dizendo que é casado para um fim que não entraria eu em detalhes, mas pode ser facilmente visualizado sob uma infinidade de perspectivas. Pode inclusive ser viúvo, ou pode ser solteiro. Ou, ainda, pode ser uma mulher. Achas que ele conhece bastante de mulher? Se achas, não seria isso caso de ser uma mulher, pois está claro que os homens entendem muito pouco as mulheres.

É claro que ele é casado. Para que alguém diria que é casado sem ser? Isso só representa prejuízo.

Raciocina, não serei eu a desvendar tanta hipótese, apesar de gostar. Mas lanço apenas uma, impossibilitar o flerte de malucas ou até malucos. No entanto, como sabe que ele é casado com certeza? Viu uma certidão de casamento? Ele já postou foto do casamento? Já mostrou aliança no dedo?

Será possível que ele não é casado, então?

Eu não disse isso, disse que você acredita em qualquer coisa sem provas, só isso. E eu te mostrei que estou certo com provas.

Pode ser. Mas vamos falar sobre os textos que é melhor. Voltando ao último texto violento. Por que fez um texto que iria fazer perder seguidores, você relatou que perdeu dois, não é mesmo?

Sim. Mas ganhei quatro. A maior parte das pessoas gosta de escândalos. E eu escrevo para as pessoas que produzem. As que não gostam de escândalos, não produzem texto algum. Só um monte de lorota, quero ver movimento. Quero ver atitude. Por exemplo, eu programei o texto violento para um horário definido em que poderia visualizar as reações. Muitos viram o texto e comentaram ele. Outros preferiram calar-se, mas eu os via. Que fiz? Publiquei outro com uma temática menos escandalosa. Era para separar escandalosos de artísticos. Mas não consegui. Houve muitos que curtiram os dois, sabiamente ou não. Como ler mentes assim? Impossível. Além disso, pode ser muito divertido cinco ou seis pessoas tentando retrucar e todas achando elas as atacadas, não acha? Ou ainda várias pessoas vasculhando a rede à procura de pistas que levem ao dito cujo que não existe, hein? E, pior, afirmarem com certeza absoluta saber de quem falei, sendo que esse alguém pode nem mesmo existir, hein?

Que que é isso, isso seria sadismo, total desrespeito com seus leitores. Mas quando fala da impossibilidade de ler mentes você fala de brasileiros ou estrangeiros? A propósito, como anda o estado psicológico dos blogueiros de cá comparado com os de fora? E, por último, crês que colabora com o aumento de produção textual de algum blogueiro/a com toda essa maluquice?

Antes, é preciso dizer que desrespeito com leitores é alguém produzir Crepúsculo e Cinquenta Tons de Cinza e, depois, desrespeito para com o cérebro dos que leem. Quanto aos estrangeiros, bem, não quero ofender, e não é caso geral. Mas os estrangeiros estão sim, talvez um ou dois passos à frente em interpretação e análise crítica. Eles não se entregam tão facilmente. E isso não é vira-latismo. É conceito. Mas como disse, felizmente, não é caso geral, é pontual. Porém, há pessoas aqui, poucas, e não sei se fora também (às vezes dei sorte) incrivelmente previsíveis. Sobre a produção textual, prefiro não causar polêmica, até porque sinto cheiro de plágio…

Com isso quer dizer que alguns brasileiros se entregam e são previsíveis e são plagiadores de textos?

Nem todos, meu caro. Há alguns que superam muitos estrangeiros. Mas não quero causar aqui um problemão diplomático. O caso é o seguinte. Há muita obviedade. Por exemplo, eu sei que alguém vai me elogiar quando publico um texto polêmico e em pouquíssimo tempo vai produzir um texto me criticando, e sei até quais e quando. É fato notório. E isso não é falsidade deles, creio ser humanidade. Mas é quase impossível ver um estrangeiro dar-se à ocupação tão óbvia e risível. Sobre cópia, eu também copio, mas dos escritores babilônicos, persas, enfim, bem antigos para não dar muito na cara.

Mas, afinal, eu fiz isso, ok? Também tenho um blog e fiz isso tudo, copiei, elogiei e depois critiquei na maior falsidade etc. Porém, com esta confissão quero te levar a confessar também, você escreve todos os textos inclusive os sérios ou é o Waldir?

Alguns sou eu. Alguns é o Waldir. Alguns somos nós. E alguns nenhum de nós.

O que você espera com essa entrevista, que as pessoas fiquem com um pé atrás com relação a você?

Não, quero que elas fiquem com um pé atrás com relação a todos os internautas, blogueiros ou não. Ou você acredita que esse pessoal falando de suas vidas tão abertamente é real? Pode ser que alguns queiram isso mesmo, e venham aqui pensando que tenho audiência global para confirmarem aos gritos: sou verdadeiro/a! Mas no geral, não seria isso pura estratégia para deixar você à vontade para falar da sua vida real enquanto ele/ela fala da sua irreal? E essas mulheres lindíssimas, hein, acredita que essas mulheres são mesmo quem dizem ser?

Então você não acredita em nenhum e ninguém na web?

Alguns eu até acredito por intuição, mas todos? Claro que não. Não existe coisa mais fácil na web que copiar uma foto e colar no gravatar e sair falando um monte de mentira, inclusive copiar um álbum inteiro do facebook e ficar colando por um ano dizendo que está viajando o globo, quando não passa de um presidiário zoando a cara de todo mundo. Por incrível que possa parecer, os blogueiros que não colocam fotos são os mais confiáveis. Ou porque são muito feios, ou porque são tão bonitos que ninguém vai acreditar. Mas, de qualquer forma, se não colocam é porque pelo menos não gostam de se passar por outra pessoa, e isso é prova cabal. Já quanto aos outros, sei não, como provar? Só se lançarmos a tag: mande um vídeo pornô seu agora em 5 minutos falando o nome de quem pediu aos urros e liste 15 blogueiros para o mesmo propósito.

Acho que isso foi um tiro de misericórdia. Pra finalizar, você disse que havia saído por um período, mas todos veem que sua produção textual não parou, é verdade que anda ocupado ou só fez isso para não ter que ficar todo o tempo conversando nos comentários?

O Waldir diz que está ocupado. Cabe a você acreditar ou não. Só sei que na mente dele estou sempre disponível, para ser eu totalmente ou por pedaço.

Agora pra finalizar mesmo, sabe que todo o entrevistador tem dois finalizar, né? Qual sua próxima obra, está trabalhando em algo?

Sim, não sei se vou conseguir terminar, trata-se de O Cafajeste – Continuação, O retorno ou A missão, ainda não decidi. Espero que case com a volta do Waldir.

Ok, obrigado.

Texto programado ou não. Produzido nem por WLD e nem por Waldir ou talvez pelos dois.

Anúncios

14 comentários em “Entrevista exclusiva com WLD

  1. “você acredita em qualquer coisa sem provas” – Particularmente acredito no ser humano, em todos, até que ele próprio com atitudes ou palavras, me provar não ser confiável.
    WLD é sagaz, é apenas o que tenho a declarar sobre a entrevista como um todo.

    Curtido por 1 pessoa

        1. Bem, eu não acho que seja ideal, mas respeito sua posição. Contudo, eu falo agora sobre mim. Não confio em ninguém, só em Cristo, só no Pai. Já me f… demais, sabe. Abraço, linda, perdoe a retórica.

          Curtido por 1 pessoa

  2. Rarará! Olha, acho que nunca na história deste… digo, da literatura alguém conversou com o alter-ego sobre seu heterônimo! Caso único!
    E pelo visto me enquadrei nos escandalófilos, já que escandalosamente pulei o post artístico, rs.
    Quanto à foto da flâmula do meu querido São Cristóvão de Futebol e Regatas, posso garantir que é autêntica! E vc acertou a razão, como já lhe disse, num concurso de beleza, perdi para o Renato Aragão na categoria Nestor Cerveró. A flâmula é mil vezes mais bonita. Ainda mais a do São Cristóvão, aí nem se compara, é covardia total.
    Belo texto, belo texto… muito bem construído, excelente.
    Um forte abraço!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Eu desconfio que você seja modelo, caro Laércio. Porque quando se perde um concurso desse, se é tão feio que acaba sendo bonito. Com certeza, kkkk. Já me chamaram de cruzamento de Batoré com Pinguim do Batman. Mas isso é muito leviano com o Pinguim, pois comparado ao Batoré, é maravilhoso. Obrigado por perder seu precioso tempo restante antes do período sabático comigo. Abraço.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Rarará! Gostei da definição, permite adotar ou tem copyright? rsrs… se bem que não sei se vou me lembrar de tudo. Acho que vou me identificar como versão piorada do Batoré.
        Não é perda de tempo, é ganho!
        Um forte abraço!

        Curtir

  3. Vixi, copyright, que é isso? Aliás, prezado, em off, você sabia que dá pra publicar textos não só programados para dias posteriores como também anteriores? Como ficaria a comprovação da autoria num caso assim, só mesmo com registro, não? Kkkk. Mas já imaginou registrar tudo o que a gente posta? Não deve ficar barato. E, afinal, registrar um texto para depois ter que processar alguém ou se ver livre de processo? Ô vida chata, se eu tivesse problema do tipo, excluiria tudo e que se lasque. kkk. Não só pode usar como me sentirei honrado, achei genial aquelas ilustrações do mico e muco, logo logo vou dar uma enchida por lá. Abraço.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Eu estava procurando outra coisa e me deparei com esse comentário, de que não fui notificado pelo site porque não era uma resposta ao meu. Então, com seis dias de atraso (involuntário), respondo: sim, notei. E também me preocupou essa possibilidade de postar com data passada. No entanto, creio que, numa situação dessas que vc coloca, imagino que o site tenha o registro da data de postagem, para fins de comprovação.
      Aliás! Se vc recebe e-mail do seu próprio blog, guarde, porque será a prova! Abraço.

      Curtido por 1 pessoa

  4. ssrr….Waldir ou Wld, acho que fiz bem então em ter tirado a foto quem sabe assim eu passo mais credibilidade….hahahhaha……quanto a confiar nas pessoas da web, bem vc tem razão. Esses dias aconteceu um fato com uma prima minha, que tava caindo na conversa fiada de um desses pedófilos da internet, peguei a conversa dos dois no celular e na mesma hora liguei pro ele me passando por mãe da menina, falei que chamaria a polícia e pedi pra ele se afastar, depois pesquisamos e ele realmente sumiu. (putz eu tava com mó medão, mas tive que fazer isso) ninguém ficou sabendo até…hoje…ssr. Infelizmente no mundo em que vivemos toda desconfiança é pouca. hummmmm….. Quer dizer que você anda sendo paquerado assim descaradamente pelas websisters? quem te viu e quem te ver, hein! ……hahahahhahahahha…..ainda bem que você é casado (?)………………………………………………Meu querido, mudando de pau pra cassete, desta vez é mais que verdade, estou saindo. Deixo meu abraço e meu carinho eterno. bju

    Curtido por 1 pessoa

    1. Caramba, Abá, que história. Sobre O WLD, coitado, o que ele quis dizer e ta me falando aqui é que poderia ser caso fosse, como não é, não há. Pois, então, sobre sua saída, é como já te disse, não tenho confiança em te pedir pra ficar por ser assunto pessoal que não quero me meter, apesar de que gostaria que ficasse, mas esta é uma decisão sua e você sabe o que é melhor, e também acho que não adiantaria. Obrigado pelo apoio todo esse tempo e leituras. Você tem realmente me estimulado muito. Espero que venha de vez em quando. Um abraço. 😉

      Curtir

      1. Pois é, história mesmo, precisa ver como eu tava brava, minha prima até hoje fica me zuando por causa disso, ela fala que até minha voz mudou, eu fiquei tão possessa de raiva que na hora nem pensei, que poderia ser perigoso pra mim também….kkk….imagina que vou deixar fazer mal a alguém que conheço ainda mais da minha família!!!! ………………………Ah! eu poderia vir de vez em quando mas se eu vier de vez enquando não seria sair…tenho uma necessidade emergente em deixar o mundo virtual e me dedicar mais nas coisas aqui, confesso que estou viciada nisso e perco muito tempo lendo e comentando, muito mais lendo que comentando….então vou me dedicar aos meus livros, no trabalho e nos estudos, melhorar a atividade física, me conectar mais com quem está próximo. Foi…é um prazer imenso ter conhecido cada um de vocês, peço perdão publicamente se de alguma forma fui deselegante em algum momento, as vezes a gente erra querendo acerta e acerta por sorte as vezes também…ss…eu ganhei na mega da virada quando conheci seus textos sempre maravilhosos e agregadores. Um abraço.

        Curtido por 1 pessoa

        1. Querida Abá, não há nada que perdoar. As divergências fazem parte. Textos não causam nunca unanimidade. Nem mesmo os otimistas, apaziguadores, quiçá os polêmicos e provocadores. O que vale é a divergência dentro dos moldes do respeito e a manifestação direta, sem subterfúgios esconderisticos. É a covardia que necesita perdão, com bastante arrependimento. Deste sua cara e isso vale o respeito. O prazer é recíproco. Tanto meu quanto dos colegas antigos e os que já tem aqui. Se a sua perceção pessoal sobre sua atividade digital é esta, concordo mesmo que saia, pois claramente não está te fazendo bem. Muitos estão assim e infelizmente não ponderam e acabam por causar problemas a si mesmos ao insistir no problema. Eu não vi nenhum exagero seu. Leitura é boa exagerada. E não deixa de ser estudo. Mesmo a leitura de textos ruins. Mas é como disse, a sua perceção sobre si é a mais apropriada obviamente para a tomada de decisões. Fiquei com a impressão de que você é uma mulher forte. E é a verdade. Errar é praticamente um direito conquistado por Adão e Eva. Impossível não errar. Fico feliz que meus textos serviram a você de alguma forma. Isso não vou esquecer. Muito obrigado. Sentiremos sua falta. E se um dia quiser voltar por achar que pode dosar melhor e eu ainda estiver aqui, conte comigo como leitor e colega. Eu também ganhei na mega da virada. É triste mas alegre. Você sair mas você entrar no controle da tua alma. Seja feliz e use seu dom. Há a gaveta. Coloque fechadura e compartilhe a si mesma sua verve. Grande abraço e breve adeus.

          Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s