Artigos · Política · Recanto das Letras

Sobre protestos e Governos (Republicação)

Algumas pessoas infelizmente parecem não compreender como funciona a mentalidade dos governantes, ou pra não ser tão pessoal, dos governos “democráticos”. E como eles interpretam protestos e pedidos acalorados. Mas é muito simples.

Quando há protestos, eles devem ser pacíficos. É a regra moral de toda a sociedade, mídia e do próprio governo. Expressar simplesmente uma opinião. Essa é a liberdade atual do povo (por enquanto). Expressar, reclamar, dizer, pular, gritar, ou seja, o povo fará uma espécie de terapia da libertação. A mesma que alguns psicólogos recomendam: trancar-se num quarto, gritar o mais alto que puder, xingar e depois sair aliviado, sem no entanto resolver absolutamente nada (ao menos exteriormente). A ideia é fazer chegar ao conformismo. Fazendo o povo acreditar que trata-se de algo benéfico, edificante, e que o povo do século XXI evoluiu.

É óbvio que isto: gritar, urrar e reclamar contra paredes e o vento em psicologia é excelente, pois faz com que as pessoas não descontem umas nas outras suas frustrações. Já em política isso tem o efeito contrário, pois não acomoda ao povo, mas sim aos governantes. Para que eles não precisem fazer absolutamente nada, já que não há cobrança, nem pressão. Há somente faixas e passeatas que não dizem nada, não fazem nada e nem mudam nada. O povo sente somente, mais ainda, sua inutilidade.

Mas engana-se quem pensa que o governo não sabe disso. Isto é, que o povo vai se cansar de protestos pacíficos e vai partir pra ignorância. Não só sabe, como também já espera por isso. Eu ousaria até dizer que mais de 80 por cento dos policiais são treinados não pra proteger a população, mas antes pra proteger os governos das populações.

O protesto pacífico, enfim, não resolve nada. Não estou aqui a apoiar baderneiros, não!. Estou simplesmente dizendo o que o protesto pacífico produz: Reclamação, e por fim frustração.

Ocorre que alguns viram isso, e com a falta de inteligência característica, acham que na base da quebradeira o governo os ouvirá. Mas é outra ilusão. O governo não está apto a ouvir ninguém, a não ser a si próprio. Constituindo aquilo que bem entender. O povo não entende isso, e quebra, xinga, depedra, mas não o governo, e sim a si próprio. Ou seja, povo contra o povo. Não se dão conta que fazem exatamente aquilo que o governo quer. Mostra, através da mídia, que o povo não protesta legitimamente por nada. Que no fim só quer transformar o país em algazarra, ferindo-se a si próprio, quebrando seu próprio patrimônio.

Em contrapartida, através da ação dos baderneiros, o governo alcança a legítima desculpa para não fazer nada do que foi solicitado, porque o protesto pacífico não é noticiado exaustivamente, e o da baderna o é. Isto é, se o governo não fez nada do que foi protestado sob ordem, que dirá então do que foi protestado sob a desordem, com o apoio da mídia e das massas influenciadas por ela. Ganha então o direito absoluto de negar qualquer coisa. Ainda que legítima.

Parece que a regra em que todos os governos agem é esta:

“Prometa tudo o que eles querem antes de ganhar. Após ganhar não faça nada do que eles pedirem, se fizer isso será sinal de ausência de autoridade. Uma hora eles vão se cansar de pedir, vão começar a se agredirem e então agiremos devolvendo a ordem, sem no entanto fazer o que foi solicitado. Se quiser fazer algum benefício, faça. Mas faça aquele benefício que ninguém está pedindo. Se alguém pedir não faça, porque vão pensar que você perdeu sua autoridade, e recebe ordens deles, e aí terá que fazer tudo o que eles mandam.”

Por isso mesmo 101% dos protestos resultam em absolutamente nada. Porque nenhum governo está disponível aos pedidos. Interpretam a realização de um pedido comum, não como obra sua, mas como obra alheia. Quem terá então a honra desses feitos não serão os governantes e sim os protestantes. E isso quebraria a estrutura do governo “pai”. Pois cada realização de um pedido protestado chamaria outro pedido, e assim sucessivamente.

Portanto, considero todos os protestos pacíficos inócuos, e os não pacíficos ilegais. Seja com quebradeira ou sem quebradeira. Então qual seria a solução? Não existe solução. Muitos podem pensar que derrubar um governo e constituir outro seria a solução. Erro grande. Pois desde que o mundo é mundo muitos fizeram isso, e o equilíbrio do governo posterior não durou nem mesmo uma década, para que houvesse mais e mais injustiça. De tal modo, que se quebrasse toda a estrutura do governo mundial atual, se constituísse outra, rapidamente, essa outra voltaria a fazer coisas iguais a essa atual, ou talvez até piores em menos de 10 anos, talvez antes mesmo de um ano.

A verdade é que trocaram somente títulos. Antes eram reis, rainhas, príncipes, princesas, imperadores, condessas, condes, duquesas, faraós etc… Hoje: Presidentes, prefeitos, governadores, vereadores, juízes, deputados e afins. O pobre continua pobre, o rico continua rico. Milhões morrem de fome, outros por falta de segurança, doenças e tudo mais. Assim como antigamente. E para aqueles que pensam que qualquer um pode ficar milionário hoje e antes não, engana-se bastante. Pra cada Roberto Carlos, há milhões de fracassados, pra cada Neymar, outros milhões de garotos mal conseguem completar 20 anos. A impressão que tanto o governo e grande parte da mídia querem passar é que hoje todos podem conseguir. Isso não é verdade. Eles são exceções, e pra eles é interessante que essas exceções existam, do contrário não haveria esperança para o povo, e a revolta seria generalizada.

Alguns dirão, ah mas antes existia a escravidão. Ora, pegar 4 ônibus pra chegar no serviço, ficar o dia todo trabalhando, pegar mais 4 ônibus pra voltar. Ganhar um salário mínimo que mal dá pra comer, e com ele ter que sustentar filhos, esposo/esposa desempregada. Pagar aluguel, comprar roupa, e ainda correndo risco de todo dia ser morto por uma bala perdida dentro da sua casa, isso é o quê? Se formos realmente analisar a fundo a história, veremos que existiram períodos anteriores em que o pobre era muito melhor tratado do que é hoje. Realmente não sei a causa pra tanto conformismo, não sei se o responsável é o televisor, internet, as mídias, os governos que conseguiram ludibriar a população. Mas é inegável que a democracia e o capitalismo é tão ou mais terrível que todos tipos de governos de outrora. Pessimismo? Realidade!

Publicado originalmente no Recanto das Letras em: 13/06/2013
Anúncios

Um comentário em “Sobre protestos e Governos (Republicação)

  1. Concordo , mesmo pq ninguém mais quer passar pelos horrores da ditadura, ninguém mais quer morrer nem padecer as torturas daquela época que muitos padeceram. Eu to na minha, pq acredito PIAMENTE na Bíblia e acredito que tudo irá se cumprir sim. Só haverá um rebanho e um só pastor, portanto um só governante que governará esse mundo da melhor maneira possível. Se é aqui como diz os testemunhas de Jeová, se é no céu, no espaço Sideral, ou em Marte, não sei, só sei que Deus ainda vai governar (embora Ele já governe) mas de uma maneira que todos saibam e vejam. Embora Cristo disse que o lugar já está preparado desde a fundação do mundo.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s